CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Adriane Neves
Minha árvore com seus galhos poéticos.
Textos

Que nem quiabo
Sou lisa que nem quiabo
Aquele que ninguém de fato, no prato quer
Tô lisa de reparo
Sou lisa que nem quiabo pode cortar
Temperar e oferecer
Ao caruru de Cosme e Damião
Ou apenas vatapá
A barriga faminta de saudades
chame a edite e bata com o garfo
Chame as filhas de Migué
porque quiabo tem que ser demais
Tem que ser comprado nas 7 portas
Pois os 7 meninos, vem famintos depois de jogar bola
Sou lisa que nem quiabo
Separa meu prato que eu só vou comer, depois que beber.
Adriane Neves
Enviado por Adriane Neves em 21/04/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários