CapaCapa
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Adriane Neves
Minha árvore com seus galhos poéticos.
Textos

Caminho do meio
Estamos todos no caminho do meio, o antecessor ao grande brilho
E o sucessor glorioso
No caminho do meio alguém te acompanha, te faz estar em corpo e em segunda mente
Só neste trajeto é possível ter paz, pois tudo realmente acontece
Quando um de nós, lermos este poema estaremos no fim do que eu
havia sentido
Ao caminhar lentamente como alguém que não enxerga com os olhos e sim com os ouvidos
Ou que escuta com os olhos.
O que move nossos corpos andarilhos é o mesmo que nos deixam estáticos
Não se suicide, aprecie a caminhada, olhe para o céu e sempre verá dois pássaros ou mais
Não deixe seu coração no inverno, invente uma estação
Pode ser do humor, do amor, da intolerância com a violência e suas facetas
Finja-se deficiente, e utilize um dos seus sentidos mais lentamente
Elimine a maturidade, mude de rota
De pensamento e canção
Mude-se de quem inventou você
Adriane Neves
Enviado por Adriane Neves em 28/04/2018
Alterado em 29/04/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários